Erika Ender, coautora de 'Despacito', rejeita versão lançada por Maduro

erika Ender, a compositora panamenha que escreveu "Despacito" junto com Luis Fonsi, rejeitou nesta segunda-feira (24) a versão feita pelo presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de seu sucesso musical para convocar os eleitores a votarem na Constituinte do próximo domingo (30). Em seus perfis nas redes sociais, a artista escreveu:

"Ver que uma canção, da qual tenho coautoria, está sendo utilizada sem permissão para publicitar campanhas vinculadas a um regime que causa descontentamento e sofrimento a um país, longe de me alegrar, me indigna e não aprovo sua utilização."


Ender, de 42 anos, é filha de brasileira e considerada uma das mulheres mais influentes no mundo da música latina. No texto, a compositora afirma que a Venezuela é um país que ela "ama", que lhe deu "verdadeiros irmãos de coração" e que está cheio de "gente guerreira, gente com vontade, gente boa, que não deixa de lutar pela liberdade de direitos e de expressão". Ela concluiu:

"Não posso ver tanta dor em pessoas de que gosto tanto."


A imprensa internacional divulgou imagens do programa dominical do presidente venezuelano, no qual foi apresentada a versão da canção para promover a Assembleia Constituinte, no meio de uma crise generalizada e de protestos nas ruas que deixaram mais de 100 mortos desde abril.

No próximo dia 30 de julho, os venezuelanos estão convocados às urnas para escolher os mais de 500 integrantes da Assembleia Nacional Constituinte, que redigirão uma nova Constituição e terão faculdades para reordenar o Estado sem que ninguém possa se opor.

A oposição venezuelana, que se negou a participar da Constituinte, promoveu para esta mesma semana uma série de atividades para tentar impedir sua realização.

Comentários

Faça Seu Pedido Músical

ou deixe seu recado

Peça sua música